Rádio Som de Deus



Lançado em: 31-05-2019

A Ascensão do Senhor

 

Meus queridos irmãos e irmãs, estamos celebrando a solenidade da Ascensão do Senhor, penúltimo domingo do Tempo da Páscoa. No próximo domingo, com a solenidade de Pentecostes, encerraremos o tempo pascal, com o cumprimento da promessa de envio do Espírito Santo, feita por Jesus aos discípulos, no domingo passado, a qual, antes de subir aos céus, renovou diante dos seus apóstolos.

A Liturgia da Palavra de hoje mostra o retorno de Jesus para junto do Pai, depois de cumprir os desígnios, a vontade do Pai e essa é que “não se perca nenhum daqueles que me deu” (cf. Jo 6,39).

O retorno de Jesus aos céus é concretizado com a promessa do envio do Espírito Santo: “Eu enviarei sobre vós aquele que meu Pai prometeu”, essa fala de Jesus, no evangelho de hoje, ajudar-nos-á compreender a mensagem da Liturgia da Palavra. Por isso, iniciaremos a nossa reflexão hoje, de forma especial, pelo Evangelho.

No evangelho de hoje, extraído do evangelista são Lucas (Lc 24, 46-53), Jesus reúne os apóstolos antes de subir aos céus, lembrando-lhes de tudo o que aconteceu, especificamente, do sofrimento e ressurreição de Cristo. O Mistério Pascal (ou seja, a Paixão, Morte e Ressurreição) do Filho de Deus é o conteúdo da mensagem anunciada pelos seus discípulos. Através desse anúncio, acontecerá a conversão e o perdão dos pecados de todos os povos. Os discípulos são as testemunhas das maravilhas de Deus-Pai manifestada em Deus-Filho. Até então, os apóstolos não podem se afastar da cidade, pois ainda não receberam o Espírito Santo, dom de Deus. A função do Espírito, revelou-nos Jesus no evangelho do domingo passado, é de ensinar e recordar tudo que Ele tinha dito (cf. Jo 14,26). Cientes de que as palavras de Jesus são “espírito e vida” (cf. Jo 6,63) e se realizam, os discípulos voltaram alegres na certeza de que, inspirados pelo Espírito que do Céu irá descer [solenidade de Pentecostes], eles anunciarão, a todas as nações, a boa-nova do Evangelho.

Na primeira leitura, extraída dos Atos dos Apóstolos (At 1,1-11), encontramos o relato da Ascensão do Senhor feita também por Lucas, contudo, com o acréscimo de alguns detalhes. Diferentemente do Evangelho, a leitura mostra o relato da subida de Jesus aos céus do ponto de vista dos apóstolos. Vamos explicar: Os discípulos ficaram maravilhados com a subida de Jesus aos céus. Lembrando as Suas palavras, durante quarenta dias após a ressurreição e na refeição, os apóstolos imaginavam que aquele seria o momento de Jesus se manifestar como Rei, ou melhor, “restaurar o Reino em Israel” (v.6). Jesus os repreendeu e insistiu para que eles, animados e inspirados pelo Espírito Santo que receberão, sejam testemunhas das maravilhas do Senhor. Contudo, nesse relato da leitura, encontramos detalhe que diferencia da narrativa do evangelho. Ao verem Jesus subindo aos céus, os apóstolos ficaram encantados, aparentemente, parados no tempo. Nisso, apareceram “dois homens vestidos de branco e advertiram os apóstolos de que a missão já começou e que Jesus irá, um dia, retornar triunfante dos céus.

Na segunda leitura, extraída da carta de são Paulo aos Efésios (Ef 1,17-23), Paulo roga para que os membros da comunidade de Éfeso recebam o Espírito que o anima e dá sentido à sua pregação. Ele pede que esse mesmo Espírito conceda a todos os efésios sabedoria e o conhecimento da verdade. “Que ele abra o vosso coração à sua luz, para que saibais qual a esperança que o seu chamamento vos dá, qual a riqueza da glória que está na vossa herança com os santos, e que imenso poder ele exerceu em favor de nós que cremos, de acordo com a sua ação e força onipotente” (v.18).

Portanto, a Liturgia da Palavra de hoje nos lembra a subida de Jesus aos céus. A alegria de que a promessa feita pelo Senhor de enviar o Espírito Santo (o Paráclito, o Defensor) irá se cumprir precisa contagiar toda a nossa vida. “A Alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus. Todos quantos se deixam salvar por Ele são libertados do pecado, da tristeza, do vazio interior, do isolamento. Com Jesus Cristo, renasce sem cessar a alegria” (Evangelii Gaudium, n.1) [evangelho]. Como discípulos de Jesus, não podemos permanecer eternamente maravilhados com a glória da Sua Ressurreição e Ascensão, pelo contrário, encantados por elas e animados pelo Espírito Santo, somos as testemunhas das maravilhas do Senhor [primeira leitura]. No nosso dia-a-dia, precisamos pedir o auxílio do Espírito Santo para que Ele nos conceda sabedoria e discernimento [segunda leitura].

Peçamos a Deus a graça de que a Ascensão do Seu Filho Jesus seja a certeza da nossa vitória e que nós, discípulos e discípulas, possamos exultar de alegria e fervorosa ação de graças, pois, membros do corpo místico de Cristo, somos chamados, na esperança, a participar da Sua glória, proclamando “por entre aclamações, Deus se elevou, o Senhor subiu ao toque da trombeta” [salmo responsorial].

Autoria: seminarista Ícaro Marcos Soledade Oliveira

Revisão ortográfica: Nelmira Moreira




5 Últimos Lançamentos

Ama teu próximo como a ti mesmo! - 13-07-2019


As colunas da Igreja: São Pedro e São Paulo - 28-06-2019


VIDA É MISSÃO! - 21-06-2019


A Trindade Santa - 14-06-2019


​​​​​​​Alegrai-vos! Desce sobre vós o Paráclito! - 08-06-2019


Rádio Som de Deus
Show da Banda Recomeçar dia 07/01/2017 na Festa de Reis em Muniz Ferreira-BA.
Copyright © 2016 - Rádio Som de Deus
Todos os direitos reservados